MANAGE

Gestão de Dados de Saúde
Pedro Marques
Ana Margarida Ferreira
Esta unidade curricular tem como objetivo explorar as várias dimensões da gestão de dados em saúde desde o armazenamento à sua análise e o seu impacto no desenvolvimento de sistemas de informação interoperáveis em saúde. Neste sentido pretende-se que sejam adquiridas competências no conhecimento e domínio das normas e standards relevantes para o armazenamento e comunicação de informação em saúde, promovendo a importância da inclusão de medidas garantes da qualidade dos dados que permitam não só a utilização tradicional, mas também o reforço do papel do utente no acesso aos dados e a sua utilização secundária.
Normas e a sua necessidade na informática na saúde
Modelos de Sistemas de informação em Saúde
Tipos de interoperabilidade: sintática, semântica e organizacional ou de negócio
Normas de codificação
Normas de modelação da informação e.g. openEHR
Normas de documentação clínica: CCR, 13606-1, CDA
Normas de comunicação em saúde: HL7v2.x, HL7v3, FHIR , DICOM, ISO 13606
Princípios sobre qualidade de dados
Sendo relevante para o desenvolvimento de sistemas de informação em saúde que garantam uma abordagem onde a longevidade dos dados e possibilidade da sua utilização a longo prazo estejam assegurados, os conteúdos programáticos desta unidade curricular focam as principais tecnologias que atualmente se apresentam como tendo um papel importante na prossecução de sistemas interoperáveis sintática e semanticamente promovendo a recolha, organização, armazenamento e comunicação assegurando a qualidade dos dados e o seu acesso de forma transversal aos vários intervenientes na prestação de cuidados de saúde.
Aulas teórico-práticas com apresentação e discussão de temas, exercícios em grupo e individuais
Apresentações por convidados
Trabalho individual de utilização das normas lecionadas
As aulas teórico-práticas são adequadas para transmitir conhecimentos acerca das normas e modelos de gestão de dados em saúde e permitem o desenvolvimento das competências e comportamentos necessários à integração destas normas e modelos na prática profissional e no trabalho de investigação. As apresentações de convidados fomentam a compreensão da aplicação prática dos conhecimentos e competências adquiridos em contexto real. Os trabalhos individuais permitem aos estudantes treinar as novas competências adquiridas, o que fomenta a sua interiorização.
Shortliffe E, Cimino J. Biomedical Informatics – Computer Applications in Health Care and Biomedicine. 4th ed: Springer; 2014